A história do Uno Mille

A história do Uno Mille
A história do Uno Mille

Hoje vamos contar a história desse grande clássico da Fiat. O modelo chegou em 1984 ao mercado brasileiro e ele veio para substituir o Fiat 147. Conheça a trajetória do Uno Mille, acompanhe o post: 

Fiat Uno: 1984 a 1990

A sua primeira geração foi apresentada em 1984 e trazia um modelo com linhas quadrada, com um bom espaço interno e várias versões de motores. Apesar de não ser o Uno Mille, o motor 1.0 litro gasolina era seu motor inicial. Esse era o Uno original, que também tinha motores 1.3 e 1.5, todos a gasolina. 
Então, depois de dois anos de lançamento, ganhou um motor de 1.6 litro. Ele trazia um ótimo desempenho se comparar aos motores menores. E a partir deste modelo, podia ser abastecido também com álcool. Só no primeiro ano ele vendeu 12.899 unidades. 

Uno Mille: 1990 a 1994

Em 1994 a Fiat atualizou o design do Uno Mille. Ganhou faróis retangulares e frente aparentemente mais baixa e para choques pretos. Além disso uma carroceria com 4 portas foi incluída e o ar-condicionado entrava na lista de opcionais pela primeira vez. Para competir com novos modelos, a Fiat fez alterações para deixa-lo mais moderno e atraente novamente. 

Então ela apresentou o ELX com mais equipamentos e painel novo. Com um novo revestimento e bancos novos. Além de ter itens de conforto como: vidros e travas elétricas como opcionais. No ano seguinte ela apostou no motor 1.0 litro com injeção eletrônica e deu um novo nome ao carro. O Uno Mille passou a se chamar só Mille e a versão Electronic passou a ser i.e, derivado da injeção eletrônica. Sua versão ELX de luxo passou a se chamar EP. Suas mudanças no motor trouxeram mais potência para o pequeno ítalo-mineiro Uno Mille, agora o motor rendia 58 cavalos e 8,2 kgfm de torque.

Logo após a Fiat lançou o Palio e logo especulou-se que o Mille sairia de cena, o que não aconteceu. A Fiat passou a oferecer o modelo como seu carro de entrada. Em 1997 ela tirou o EP e o i.e de circulação e lançou apenas a versão Uno Mille SX.

Uno Mille: 2004 a 2013

Desde 1984 o Uno sofreu sua maior mudança. Durante todos esses anos já estava consolidado e com 20 anos de mercado, passou por uma grande reformulação. Então o modelo recebeu uma nova dianteira, com faróis de superfície complexa e para-choques na cor da carroceria. Ela também recebeu o novo logo da Fiat, que passou a ser redondo e com fundo azul. 

Além das mudanças na parte externa ele ainda ganhou um novo quadro de instrumentos, direção hidráulica e um painel com desenho novo. 
Pois a motorização mudaria em 2005, com a vinda do motor Fire Flex para o Uno Mille, que agora tinha 65 cavalos com gasolina e 66 cavalos com etanol e torque de 9,1/9,2 kgfm respectivamente.

Em 2010 a Fiat apresentou a segunda geração do Uno, com uma carroceria no estilo “round square”. E certamente ele também trazia as mudanças exigidas por lei, que são os Freios ABS e Air Bags frontais. 

Fiat Grazie Mille

Enfim, para se despedir a Fiat lançou uma série limitada de 2.000 unidades com o nome Grazie Mille. De fábrica já vinha com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros dianteiros elétricos, limpador no vidro traseiro e rádio com USB e Bluetooth. O nome Grazie Mille significa muitíssimo obrigado, e é esse o sentimento que a Fiat tem ao lançar um carro que fez parte da história de tantos brasileiros. 

Faça seu Consórcio Fiat 

Apaixonado pela marca Fiat? Simule seu plano no Simulador Consórcio Fiat e comece hoje a planejar a compra do seu novo Fiat. 

Fonte: Notícias Automotivas